Em um mundo tomado por “digital influencers” se faz importante o amparo de artistas para quebrar um velho tabu sobre os transtornos

Há nove anos, Cássia Kis Magro recebeu o diagnóstico de transtorno bipolar.

Um dos sinônimos da palavra amparo é apoio. Isso é o que toda pessoa com algum transtorno precisa para não esquecer que não está sozinha. Num mundo tomado por “digital influencers” que atuam na rede de computadores, portando grande poder de impacto nas decisões de muitas pessoas, se vê importante a iniciativa própria de algumas pessoas de influência revelarem seu lado frágil e humano.

Quando o gatilho é acionado e o paciente passa a sentir as primeiras transformações em suas emoções e comportamentos do dia a dia, é extremamente normal que se sinta grande medo em razão do desconhecido, que agora entra na rotina sem “bater na porta”. Na maioria das vezes, este sentimento vem acompanhado da sensação de desamparo quando essa transformação é confundida com a ideia de exclusividade, de que é a única pessoa a experimentar aquilo, já que desconhecia antes do episódio. Embora essa seja uma impressão natural do nosso cérebro, felizmente não é bem assim, pois é sempre bom lembrar que não se está sozinho e que hoje, a psiquiatria está bastante evoluída, tanto no que se refere aos diagnósticos quanto aos fármacos utilizados, com cada vez menos efeitos colaterais.

Pensando nisso, há uma década diversos artistas do Brasil e do mundo passaram incluir nas suas entrevistas informações sobre suas condições psicológicas com as quais conviviam diariamente, desmistificando o velho mito de que existe “vida perfeita” que contemplam pessoas de sucesso e, sobretudo, de sucesso midiático.

Essa postura ajuda a quebrar um forte tabu e preconceito de que pessoas são menos capazes de serem felizes e obterem sucesso em razão do seu diagnóstico mental. Com essa identificação, muitas pessoas perdem o medo e a vergonha e buscam mais informações sobre as doenças que, por sua vez, são mais comuns do que se imaginava.

Resumidamente, vamos mostrar algumas dessas pessoas que falaram abertamente sobre suas experiências: