Depressão pode existir mesmo que se enfrente uma rotina

Ao falar de depressão, tem-se a ideia de uma pessoa chorando, incapaz de fazer qualquer coisa e, até mesmo, dificuldade de sair da cama. Isso acontece, é claro, em casos de Transtorno Depressivo Maior. Entretanto, muitas pessoas possuem depressão de forma latente, ou seja, o problema está lá, e por conta disso não sentem prazer nas atividades embora as cumpra com muito esforço.
 
Um número muito grande de indivíduos possui a doença sem apresentar sintomas tão evidentes. Mesmo assim, diversos sinais são visíveis, tais como a completa falta de motivação e dificuldade de vibrar com suas conquistas. 
 
Sendo assim, essa pessoa não percebe qualquer estímulo de recompensa, transferindo muitas vezes para outros comportamentos de modo a suprir esse vazio, como por exemplo a obsessão por algo ou tema que não tem efeito prático em sua vida, ou até mesmo lançar mão de substâncias como o álcool para aliviar o sofrimento. Dessa forma, o alcoolismo está intimamente ligado às preocupações em relação a pessoa com depressão.
 
Nestes casos, pessoas próximas podem tentar entender melhor as causas da falta de entusiasmo e orientar a buscar ajuda. A depressão quando latente pode permanecer “estável” por muitos anos, porém, quando ignorada, corre sério risco de encontrar pelo caminho uma situação de gatilho – como a morte de um ente querido -, onde o que estava apenas dando sinais venha a incapacitar de fato o paciente.
 
O tratamento para pessoas depressivas pode ser realizado de duas maneiras, por meio de medicamentos e acompanhamento psicoterápico. Faz parte do tratamento o apoio da família ao demonstrar solidariedade, se abster de julgamentos e auxiliar no que for preciso.