Mecanismo do Vício no Cérebro: substâncias psicoativas

Diversas são as substâncias que de alguma forma atuam no funcionamento do nosso cérebro, são as chamadas drogas psicoativas. Mesmo que também sejam usadas em tratamentos psiquiátricos e outras doenças, seu maior consumo no mundo tem o propósito de propiciar imediata sensação de prazer ao indivíduo. Não tão somente as drogas ilícitas estão nessa lista, além do álcool e cigarro, pessoas que possuem hábito de consumir cafeína, por exemplo, muitas vezes têm imensa dificuldade quando tentam parar de tomar a substância.

As drogas classificadas como recreativas – psicoativas – causam mudanças na forma que percebemos o mundo ao redor, por meio de alterações nos sinais transmitidos pelo sistema nervoso. Nosso ânimo e percepção podem ser alterados por diferentes tipos dessas drogas psicoativas, veja algumas.

As drogas psicoativas estimulantes como a cocaína, por exemplo, levam o indivíduo a tornar-se em poucos segundos uma pessoa mais alerta e autoconfiante. As drogas tranquilizantes como o álcool, tem a propriedade de desacelerar o corpo e a mente, trazendo uma sensação de paz e serenidade. As drogas psicoativas dos grupo dos opiáceos, como heroína e morfina levam à tranquilidade e bem-estar imediatos, ao passo que, as alucinógenas alteram profundamente o estado da mente e distorce a percepção e pensamentos.

Falando assim, soa até mesmo inofensivo, porém, o caminho inverso é muito difícil e poucos o encontram. Em outras palavras, quanto mais se sente prazer no consumo de substâncias psicoativas, menos chances alguém tem de sentir-se bem sem elas.

Continua no próximo post do Mecanismo do Vício no Cérebro: abuso de substâncias.

Assista ao vídeo sobre adição e dependência química: Adição psíquica, dependência química e dependência física.